zeluisbraga

Oculus Rift

Posted on: sexta-feira, 4 julho, 2014

downloadMarasmo por conta da Copa, tudo meio paradão, parece que o Brasil parou no tempo. Mas só parece, o mundo continua acelerado, muita coisa acontecendo, tanto aqui quanto fora. Mas a tecnologia não para, e as novidades e inovações vão aparecendo. Uma notícia que me chamou muita atenção ontem, foi a do Oculus Rift, que li no artigo O “Mundo Real” vai acabar em 2015, publicado no site PEGN (Pequenas Empresas Grandes Negócios). Para uma leitura rápida no artigo, parece apenas mais um brinquedo que vem para o mercado concorrer com o Google Glass e outras opções que apareceram no rastro dele. Mas não é exatamente assim, para começar o invento não foi produzido pela indústria de tecnologia.

O projeto tem sido desenvolvido por um jovem empreendedor de 21 anos, Palmer Luckey, que trabalha no projeto desde os 18 anos, e mais uma vez na garagem da casa de seus pais, na California-EUA. Objetivo do projeto:  “desfazer qualquer diferença entre a realidade do cotidiano físico-emocional  e a realidade virtual”.  Ainda segundo o artigo, “Você pode estar deitado numa praia, com um Sol escaldante na cabeça. Mas se estiver usando o Oculus, poderá viver uma experiência “real” de estar esquiando no inverno suíço. Você sentirá frio e a sensação de estar encasacado, com o vento a lhe castigar os ossos“. Ou seja, o conjunto Oculus Rift + software embarcado que o acompanha vão provocar uma revolução, mesclando o virtual com o real, atuando diretamente no córtex cerebral via o software (não me perguntem como isso acontece, eu ainda não tenho a menor ideia).

Até que a invenção chegue ao mercado, devidamente produzido (a reportagem acrescenta que o Mark Zuckerberg do Facebook já adquiriu parte dos direitos, ele não é nada bobo) e com as possiveis falhas corrigidas e ajustadas, ainda vai levar um tempo. Mas isso não impede a gente de deixar a mente viajar um pouco nas aplicações que um invento desses pode ter. De imediato na educação em todos os níveis, a experiência do mundo real pode ser trazida para dentro do mundo do Oculus Rift, permitindo ao estudante viajar pelo mundo afora e pelos ambientes onde as experiências são conduzidas, o que é impensável fazer fisicamente, tanto pelos custos de deslocamentos quanto pela enorme quantidade de estudantes envolvidos. Será possível a um amigo pesquisador da UFV, que desenvolve pesquisas importantissimas com cupins (isso mesmo, cupins são uma das salvações da humanidade consumindo nosso pior lixo), trazer os sítios de locais do mundo onde as espécies de cupins são encontradas e colhidas, para dentro do mundo do Oculus, permitindo ao aluno “viajar virtualmente”   e ter pelo menos uma experiência sensorial com o tema. Imaginem esse tipo de aplicação se espalhando em todos os níveis de ensino, enriquecendo absurdamente aulas das ciências básicas, das engenharias, no ensino fundamental com as matemáticas, etc. Os possíveis usos são fantásticos, e estamos falando apenas na área de Educação. Deixem a imaginação correr solta, para vocês perceberem a revolução que o bom uso deste invento pode causar.

A tarja preta no inicio do artigo é alusiva ao terrivel acidente de ontem em Belo Horizonte, a queda de um viaduto inteiro sobre a avenida Pedro I. Sem comentários, vai ser assunto de outra postagem.

(este artigo foi escrito por zeluisbraga, e postado no meu blog zeluisbraga . wordpress . com) (this post is authored by zeluisbraga, published on zeluisbraga . wordpress . com) (Viçosa, MG)

About these ads

2 Respostas to "Oculus Rift"

Olá Zé!
O Oculus Rift foi matéria de capa da revista Info no mês de junho. Pelo que li e pesquisei na internet, as aplicações dele por enquanto serão apenas jogos, inclusive no Youtube tem várias demonstrações. Segundo Palmer Luckey, no futuro a industria de filmes poderá utilizar essa tecnologia também.
No começo desse ano foi lançada a segunda versão para desenvolvedores e dizem que pode ser a última versão beta, pelo que eles anunciaram o lançamento da versão final está bem próximo.
Abraço.

Obrigado pelo comentário, Paulo. Eu aposto nesse tipo de tecnologia para provocar mudanças mais fortes. Muito promissor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.208 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: