Melhoria de qualidade com Métodos Híbridos

Uma questão que está na pauta da Engenharia de Software é quando, ou em que tipo de problema, utilizar um Método Ágil ou algum derivado de UP-Unified Process, como o RUP-Rational Unified Process ou o PRAXIS, que continuo a usar por aqui. Já temos iniciativas sérias, para tentar determinar com mais precisão as classes de problemas a que cada família de métodos se aplica melhor. Uma alternativa interessante é a utilização de métodos híbridos, unindo boas práticas de ambas as tendências em um método combinado, ou híbrido.
O PSPm-Personal Software Process-modified é uma tentativa de criar um híbrido entre o PSP, um método utilizado para aferição e melhoria de qualidade no nível pessoal criado pelo Watts Humphrey do SEI-Software Engineering Institute e que é considerado um exemplar dos métodos baseados em planejamento, com o TDD-Test Driven Development , que é um processo de desenvolvimento de software pertencente ao grupo dos Métodos Ágeis. No PSPm, introduzimos a técnica de Test-first, que significa fazer o projeto do teste de cada trecho de código antes de codificar, obrigando o programador a prestar atenção em todos os detalhes do problema e a entendê-lo melhor.
O PSPm foi proposto na primeira dissertação defendida no Mestrado em Ciência da Computação do DPI em Abril de 2006, pelo meu orientado Renato Afonso Cota Silva. Levamos o PSPm para a sala de aula, fizemos medidas comparativas de sua eficiência quando comparado com o PSP original, e foi constatado ganho sensível na qualidade final do programa, com diminuição do número de erros cometidos e consequentemete no retrabalho. A experimentação continua e, pelos resultados alcançados até o momento, parece promissora a idéia dos métodos híbridos. Volto a esse assunto em breve…

Anúncios

Consultor Independente, Treinamento Empresarial, Gerência de Projetos, Engenharia de Requisitos de Software, Inovação. Professor Titular Aposentado, Departamento de Informática, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Doutor em Informática, PUC-Rio, 1990. Pós-Doutoramento, University of Florida, 1998-1999

Publicado em Engenharia de Software
7 comentários em “Melhoria de qualidade com Métodos Híbridos
  1. Oséas disse:

    Legal Zé,

    Não conhecia o PSPm. Onde eu poderia pegar mais informações sobre ele?

    Abraços,
    Oséas
    Natal-RN

  2. Anderson disse:

    Eu estaria de acordo com Zé se ele considerasse o termo hibrido como sendo o uso de uma metodologia de processo de software combinada com métodos formais 😉

  3. Clayton Fraga disse:

    Sem dúvida alguma o caminho é balancear as idéias, não dá para seguir somente uma ou outra abordagem.
    Falando de mercado, a IBM adquiriu a Rational há algum tempo, está melhorando a cada dia suas técnicas, métodos e ferramentas. (vide BUP, OpenUP)

    Parte da sua nova estratégia é manter o projeto Eclipse Modeling Framework (EMF) como plataforma open-source e o Unified Process Composer como produto comercial.

    Recentemente contrataram o Scott Ambler, que é um dos defensores do método ágil, portanto é um caminho sem volta e novidades estão por vir.

    Clayton.

  4. Valter Lobo disse:

    Cada vez mais acredito em metodologias menos burocraticas …… devido a ma experiencia em alguns projetos que utilizava RUP e com a experiencia de adotar algumas praticas do XP com TDD, integração continua, Refctoring. Vejo que e mais produtivo trabalhar assim … o cliente presente ja e um pouco dificil ter isto em alguns projetos. Estes dias pensei justamente sobre isto ‘hibrido’ em utilizar ‘casos de uso’ com ‘user stories’, a ‘user stories’ descrevia a funcionalidade no nivel macro do sistema ( tela com menu similar ao outlok) e o caso de uso, no detalhamento de cada funcionalidade ( criar e-mail, enviar-email , ler e-mail ) que esteja presente na ‘user stories’.

    Faz um post sobre PSPm…. eu ainda não conheço …
    Parabens pelo blog ….

  5. Petraq disse:

    Hi Zeluis,

    Believe it or not, my broken Spanish helped me understand your presentation of different methods of developing software. My personal opinion is that it is hard to impose a certain method on developers. Everybody thinks that his own method is the way to go. Sometimes the diversity of methods creates a little confusion. The novice has a hard time to select a method amongts many existing ones. We thought that after the end of “war of methods” when UML was born would help solidify the OO market and developers will have an easier time to follow a well-defined and a well-accepted methodology. Unfortunately, it is not the case. Right now we have MDA, MDDand FDM (the last one standing for Feature Development Method), etc. It looks like as we have to understand English, Portuguese, Spanish, French etc we will have to understand MDA, MDD, FDM and so on.

  6. Rafael Azevedo disse:

    Zé, estive relendo a dissertação da prof Liziane e ocorreu me a vontade de saber mais sobre “Métodos Híbridos” … Achei o seu post introduzindo sobre o assunto, mas não consegui nada mais “profundo” sobre o mesmo… Você poderia indicar alguma bibliografia que abordasse este tema?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: