Acidente com o vôo GOL-1907: falha de software?

Os controladores dizem que o software “corrigiu” automaticamente a altitude do Legacy, dando a impressão de que eles estavam na altitude correta

Controlador B – “Existe uma ficha que apresenta o nível de vôo proposto e o nível autorizado. Foi isso o que induziu o controlador ao erro. Na ficha, aparecia o nível de vôo que eles estavam mantendo, 370. E o nível de vôo após s Brasília, 360. Quando chegou a Brasília, o nível solicitado veio como autorizado. Ele veio automático para nós. Isso é o software que transforma automaticamente. E já tínhamos alertado para esse problema havia muito tempo. Aí o software jogou para nossa tela o nível solicitado como se fosse o autorizado. Quando isso aconteceu, nossa visualização estava: Legacy 360, e não 370. Como o radar secundário não estava captando as informações do transponder, o radar primário, que oscila muito, mostrou o jato a 360. Lembro até que um dos controladores perguntou: ‘Qual é o nível do Legacy?’. E o outro disse: ‘360’. ”

O parágrafo acima foi copiado integralmente da reportagem publicada na revista Época dessa primeira semana de dezembro de 2006 (4/12/2006), sobre o acidente envolvendo o jato da Gol e o Legacy. Dificil saber ao certo se foi mesmo falha de software, só mesmo uma auditoria cuidadosa no código poderia confirmar (ou não) a suspeita. É outro ótimo (e trágico) exemplo do que é repetido exaustivamente nos livros texto e nas salas de aula, sobre a questão da qualidade de software e suas consequências catastróficas, quando vidas humanas estão em jogo. O pesquisador Peter Neumann é incansável em auditar as falhas e apontar os riscos a que estamos sujeitos pelo uso do software, tanto em sua página na web quanto na sua coluna Inside Risks, publicada regularmente na Communications of the ACM.

A Sociedade Brasileira de Computação lançou os Grandes Desafios da Computação no Brasil de 2006 a 2016, produzido a partir de um seminário realizado em maio de 2006, em São Paulo. O desafio 6 inclui a questão de fidedignidade do software, diretamente relacionada com a questão acima. Recomendo a leitura desse documento da SBC, é muito enriquecedor e ajuda a mostrar o caminho à frente.

Anúncios

Consultor Independente, Treinamento Empresarial, Gerência de Projetos, Engenharia de Requisitos de Software, Inovação. Professor Titular Aposentado, Departamento de Informática, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Doutor em Informática, PUC-Rio, 1990. Pós-Doutoramento, University of Florida, 1998-1999

Publicado em Engenharia de Software
2 comentários em “Acidente com o vôo GOL-1907: falha de software?
  1. Joao Gazolla disse:

    Falha de Software ? Seria possível, visto que hoje não temos como garantir que um software é livre de erros…Porém acredito fortemente no fator humano, este sim é o problema…

  2. Paulo Henrique disse:

    “Como o radar secundário não estava captando as informações do transponder, o radar primário, que oscila muito, mostrou o jato a 360.”

    Vendo este trecho acima chego a duas conclusões, ou o sistemas deles é bem precário, e não tem condição de monitorar um tráfego aéreo, ou eles estão jogando toda a culpa no software, já que este é educado e não desmente os outros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: