SecondLife

O jogo SecondLife é talvez o primeiro grande passo para entrarmos em mundos e realidades virtuais. Criado no LindenLab, uma empresa de San Francisco fundada em 1999 por Philip Rosedale, que era o CTO-Chief Technology Officer da RealNetworks (RealPlayer e tecnologias relacionadas com streaming de áudio e vídeo), o jogo se desenvolve em um ambiente 3D que simula um mundo paralelo criado por seus próprios habitantes. Fazer uma visita no ambiente e nos mundos disponiveis não custa nada, mas a participação de fato custa dólares mensais e depende do “investimento” que você deseja fazer no mundo virtual. Como, por exemplo, comprar terras e empreendimentos virtuais, ou iniciar seu próprio negócio.

O que mais impressiona é a questão social envolvida com o jogo. Por exemplo, o trecho da reportagem da revista EXAME882 ilustra a questão: “Ao reunir um patrimônio superior a 1 milhão de dólares, Anshe Chung, empresária do ramo imobiliário, ganhou status de celebridade internacional. A quantia seria modesta demais para justificar tanta fama, não fosse por dois detalhes. O primeiro é que seu negócio começou há apenas 30 meses com o ínfimo investimento de 9,95 dólares. O segundo é que Anshe não existe. Esse é o nome de um avatar, uma representação criada dentro do Second Life…”

A importância do ambiente para o mundo dos negócios é muito grande, pois estamos falando de uma comunidade de usuários de mais de 2 milhões de jogadores virtuais, certamente de alto poder aquisitivo. As empresas do mundo real estão enxergando no ambiente uma enorme oportunidade de negócios, como demonstra o seguinte trecho extraído da reportagem: “A Reebok montou uma loja em que os avatares podem customizar os tênis, a Toyota criou réplicas virtuais da linha de carros Scion e a Starwood, que controla hotéis e resorts, mostrou em primeira mão dentro do jogo como será sua próxima rede, batizada de Aloft. São ações de marketing que emprestam um verniz moderno às marcas envolvidas. Há também usos mais práticos. Em novembro, o executivo-chefe da IBM, Samuel Palmisano, valeu-se de seu avatar para anunciar aos funcionários que estavam conectados ao Second Life um plano de investimento da ordem de 100 milhões de dólares para fomentar novos negócios. A Big Blue também promove encontros virtuais de programadores que estão espalhados por diversas subsidiárias.”

Até agora, tenho minhas dúvidas se SecondLife é realmente um jogo. Tem implicações sociais fortissimas, é dificil conseguir enxergar o que esse tipo de tecnologia vai significar, em termos sociais, no futuro próximo. Tirem suas próprias conclusões… e preparem-se. (Parcialmente baseado em reportagem da Revista EXAME 882, 14/12/2006, “Uma segunda vida para sua empresa”, Ricardo César)(Noticias atualizadas sobre o SecondLife no portal g1.globo.com)

Anúncios

Consultor Independente, Treinamento Empresarial, Gerência de Projetos, Engenharia de Requisitos de Software, Inovação. Professor Titular Aposentado, Departamento de Informática, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Doutor em Informática, PUC-Rio, 1990. Pós-Doutoramento, University of Florida, 1998-1999

Publicado em Social, Tecnologia
11 comentários em “SecondLife
  1. smarzaro disse:

    Vou repetir aqui o que disse para uns amigos quando perguntaram seu eu já havia jogado o “Second Life”, respondi: “Atualmente não tenho tempo nem para minha First Life, quem dirá para uma Second!!” 🙂

  2. Lissandra disse:

    Pelo que tenho acompanhado a respendo do “Second Life” é que a intenção não é de ser apenas um jogo e sim que as pessoas possam ter condições de viver uma segunda vida diferente do que vivem na vida real. A IBM estava com intenção de realizar reuniões com seus funcionário no “Second Life”. Para as empresas que tem funcionários em todos os cantos do mundo, seria uma maneira interessante de reuní-los. Por outro lado, quais os problemas que essa outra vida, principalmente pela falta de regras, pode trazer para a vida real?

  3. Triplo X disse:

    O peixe morre pela boca.

  4. Myrtes disse:

    o q tenho entendido sobre o secondelife é q ele nã tem a proposta de apenas um jogo…
    mas tem como nos mostrar praticamente numa vida virtual…
    Em que podemos controla-los de acorod com nossas vontades….
    Talvez seja até uma mini forma de nossas vidas…

  5. é mais ou menos isso, meio jogo, meio realidade. com poucas regras, para que os participantes possam dar asas à imaginação e criar o tipo de vida que acharem melhor, ou que gostariam de levar na vida real.

  6. Ademir disse:

    Não joguei ainda, devido ter uma placa de vídeo de só 128 Mbs e parece que o jogo é bem pesado, mas parece ser excelente a simulação.

  7. SULA disse:

    Zeluis sera que voce poderia me informar onde posso
    obter instrucoes simplificadas de como participar.
    Nao tenho muita pratica com o computador.
    Nao sei o que devo fazer depois de realizar o
    download, para dar continuidade por ex. na criacao
    do avatar, para entrar na cidade etc…
    Obrigada !

  8. Infelizmente, não jogo o SecondLife, tenho interesse nele apenas como fenômeno social e de tecnologia. Mas, pelo que vi no site, é muito simples participar. No site tem como participar como visitante, tente essa forma para conhecer o espaço do jogo.

  9. andrei disse:

    Quero saber mais como que faço para jogar!!!

  10. pingo disse:

    como e k jogo na cidade? se alguem souber digame!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: