Sustentabilidade: fabricantes reciclam computadores usados

Venho acompanhando as noticias e acontecimentos sobre sustentabilidade da TI, objeto de duas postagens mais antigas aqui no blog, Sustentabilidade da TI e outra logo em seguida, Sustentabilidade da TI: visão sistêmica. Felizmente, o que se percebe é que por pressão da própria sociedade e de ONGs da área ambiental em todo o mundo, as empresas estão começando a cuidar do problema prá valer. Notícias mais antigas sobre o impacto ambiental gerado pelo lixo da TI estão em Link-Estadão-2006, e outra sobre a questão do enorme impacto provocado pelos sacos plásticos, dão uma idéia do tamanho do problema que nós mesmos estamos criando… para nós mesmos, nossos filhos e netos.

A revista EXAME edição 910, de 30/1/2008, é em parte dedicada à sustentabilidade, o tema da capa é Em busca do carro do futuro. Aproveito para emitir uma opinião sobre essa visão de mundo baseada em carros: acho que o foco está errado, nossa sociedade continua mantendo o foco individualista no carro, buscando alternativas de combustíveis para uma parcela pequena da população continuar andando de carro, matando cada vez mais nas estradas e arrebentando mais nosso exaurido planeta Terra. Será que nosso problema é realmente andar de carro? na minha modesta opinião, não é, temos que focar no coletivo para atender a todo mundo, sem exclusões. Mas, certamente isso é idéia de maluco… vou voltar nessa maluquice em outra postagem em breve. Bom, voltando ao nosso assunto, uma reportagem da revista tem o título Elas querem apagar o rastro: as grandes indústrias agora se esforçam para apagar os vestígios do impacto ambiental dos produtos descartados após o consumo, matéria da jornalista Suzana Naiditch.

A reação da sociedade contra os danos ambientais está sendo tão efetiva, que as empresas estão se mexendo rapidamente para tentarem melhorar sua imagem diante de seus consumidores e minimizar esses impactos. Por enquanto as iniciativas se verificam apenas nos EUA, o que já é um grande passo pois eles são os maiores poluidores do planeta (e continuam achando que nós é que fazemos isso…). A Motorola iniciou a coleta de celulares usados nos pontos de venda em 2004, recolhendo por ano nada menos que 2500 toneladas de equipamentos que iriam parar no lixo, o que corresponde a 3,5% de suas vendas. O material é reciclado e uma parte reaproveitado em sua linha de produção de novos aparelhos, outra parte é recuperada e recolocada no mercado em outros aparelhos. O mesmo está sendo feito pela HP, e a iniciativa já se encontra em operação em um centro de serviço autorizado em Sorocaba-SP, onde baterias e impressoras descartadas são recebidas de volta para reciclagem (meta de ter 60 centros desse tipo até o final de 2008).

A coleta de equipamentos usados não é tão simples quanto parece. Antes de mais nada, é necessário ter muitos pontos de coleta, pois equipamentos usados e inserviveis estão em toda parte. E se o consumidor não tiver um centro de coleta com acesso fácil como supermercados, pontos de venda, agências bancárias, etc., certamente a iniciativa não vai funcionar como deveria. O outro desafio é implantar a chamada logística reversa, que tem impacto na cadeia de distribuição de produtos, que é parte da sua cadeia logística: como fazer o produto descartado chegar de volta aos centros de reciclagem e de produção? O produto tem que percorrer o caminho de volta, indo do consumidor aos centro de produção, no rumo inverso ao da distribuição de produtos novos, e isso naturalmente aumenta os custos para as empresas. Custos esses que, diante dos enormes prejuizos ambientais e de queda na imagem das empresas e marcas, podem ser considerados relativamente baixos.

O surgimento de padrões internacionais para avaliação da responsabilidade social, como o SA8000, tem facilitado o avanço para o estabelecimento de padrões e normas internacionais relativos a danos ambientais. A formação de cultura que a SA8000 tem proporcionado já é um enorme primeiro passo, o Guia Exame 2007 – Sustentabilidade (dezembro/2007) é um forte indício dessa mudança.

Anúncios

Consultor Independente, Treinamento Empresarial, Gerência de Projetos, Engenharia de Requisitos de Software, Inovação. Professor Titular Aposentado, Departamento de Informática, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Doutor em Informática, PUC-Rio, 1990. Pós-Doutoramento, University of Florida, 1998-1999

Publicado em Economia, Sustentabilidade
Um comentário em “Sustentabilidade: fabricantes reciclam computadores usados
  1. Boa noite meu nome é carlos,eu sou de clase pobre moro em maceió,e sempre que dá eu vou na lan pois não tenho computador;a minha meta é ajudar pessoas atravé de conselhos e palavras de comforto;eu não tenho condições de comprar um computador;mais sirvo a um Deus que tudo pode e creio que Ele me dará um,oque eu gostaria é que se foce pocivel vcs me arrajacem um computador mesmo usado ou velhinho não importa eu estou precisando muito;me ajudem a realisar esse sonho por favor,talves essa mensagen seja apagada mais eu tentei pois sou Brasileiro fikem na paz do nosso Deus e obrigado pela atenção.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: