Criatividade e inovação

Cirque du Soleil

Esse livro estava na fila há algum tempo e, há umas duas semanas, chegou a vez dele (a citação completa vai no final da postagem). O estilo me agradou desde o início, e na medida em que fui avançando, fui lendo mais devagar… para fazer uma leitura tão enriquecedora e prazerosa durar tanto tempo quanto possível. Estava com pena de chegar ao fim do livro e terminar a leitura. As lições do livro podem ser transpostas para contextos tão distintos quanto gerência de projetos, gerência de pessoas, visão sistêmica, liderança, confiança, colaboração, criatividade, inovação… O autor do livro viveu a experiência incrível de passar um tempo como aprendiz, fazendo parte de várias equipes e experimentando várias técnicas, dentro do Cirque du Soleil em sua sede em Montréal, Canadá.
Impossivel traduzir com minhas palavras a riqueza do livro. Isso acontece com toda forma de manifestação artistica, o conhecimento artístico não é descritivel na forma de texto, escapa à formalização. Arte é interpretada e vivida de formas diferentes por pessoas diferentes, em momentos diferentes. Algumas passagens das muitas de que gostei vão transcritas a seguir. Espero comentários dos leitores…
No projeto de nossos equipamentos, não podemos esquecer de que os acrobatas, por mais gabaritados que sejam, não são técnicos. O uso do material tem de ser simples, fácil e consistente. Para isso, é preciso conhecer o nosso pessoal, e toda a psicologia envolvida no processo (pag. 56);
Quando caimos na rotina, deixamos de utilizar todos os nossos sentidos, todos os nossos instintos, a nossa atenção completa naquilo que fazemos; e são exatamente essas as nossas maiores qualidades, principalmente à medida em que os anos de experiência vão se acumulando (pag. 58);
Nossa determinação de nos mantermos na nossa zona de conforto é tão grande que aprendemos a conviver até com a decepção, se ela for um terreno familiar em que nos sintamos protegidos. (…) Os nossos medos nos retêm e nos impedem de atingir as nossas metas. Só se nos dispusermos a correr riscos podemos realizar algo extraordinário (pag. 63).
(…) cada pessoa que eu conhecia não passava de uma nota dentro de uma grande sinfonia, mas era absolutamente imprescindível (pag. 117).
(Cirque du Soleil: a reinvenção do espetáculo (uma história de inovação sem limites). John U. Bacon, Lyn Heward. Rio de Janeiro, Ed. Campus/Elsevier, 2006.)
Anúncios

Consultor Independente, Treinamento Empresarial, Gerência de Projetos, Engenharia de Requisitos de Software, Inovação. Professor Titular Aposentado, Departamento de Informática, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Doutor em Informática, PUC-Rio, 1990. Pós-Doutoramento, University of Florida, 1998-1999

Publicado em Empreendedorismo, Livros
2 comentários em “Criatividade e inovação
  1. Gustavo Simões disse:

    Grande Zé,
    confesso que não tenho lido seu blog com frequência, mas sempre que há uma indicação de livros paro e leio com atenção.
    A riqueza que este livro tem é surpreendentemente espetacular! O diálogo na pag 45 no qual discorrem sobre prazos, foco e procedimentos é impar.
    Parabéns pelo site e indicações!
    Abraço!

  2. Alo, Gustavo. De fato, esse livro é surpreendente, tanto por ser muito simples e fácil de ler, quanto pelas idéias e lições que estão embutidas em todo canto. Fui lendo e anotando partes, mas parei logo, ia acabar anotando a maior parte do livro. Aguarde, estou lendo outros otimos livros, vão aparecer aqui em breve. Abraço,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: