Aula da saudade – Janeiro de 2010

Turma de Ciência da Computação, Departamento de Informática da UFV,  Janeiro de 2010

De beca e sem dinheiro, tô formando em Janeiro.

Inovem!

Muitas previsões boas para o mercado de trabalho nos próximos anos. Passado o susto da crise econômica de 2009, causada pela irresponsabilidade e falta de controle dos bancos estadunidenses, pela qual o Brasil passou sem arranhão, entramos novamente em um ciclo virtuoso da economia. Cada vez mais com domínio da tecnologia e grandes mudanças sociais provocadas pelas TIC – Tecnologias da informação e comunicações. A primeira ótima notícia do ano é que as empresas estão investindo pesado em inovação, e para que isso aconteça, departamentos de pesquisa aplicada devem ser criados e mestres e doutores contratados para levarem as pesquisas adiante. Para vocês terem uma idéia desse crescimento, segundo o MCT – Ministério da Ciência e Tecnologia, em 2005 eram 5410 mestres contratados nas empresas brasileiras, e esse número saltou para 6224 em 2008, um aumento de aproximadamente 14%. E com os doutores não foi muito diferente: em 2005 eram 1979 doutores contratados nas empresas brasileiras, e em 2008 esse número saltou para 2447, um crescimento de aproximadamente 25%.

Esses números dizem mais do que parece à primeira vista. O fato comprovado no mundo todo, é que a inovação acontece principalmente no ambiente das empresas, resultante da necessidade de desenvolvimento tecnológico associado com novos produtos e processos para atender às demandas da sociedade. A universidade, embora também contribua com a inovação, tem seu foco principal na formação em níveis de graduação, mestrado e doutorado, e no desenvolvimento prioritário de pesquisas básicas, cada vez mais demandadas pelas necessidades das pesquisas aplicadas desenvolvidas nas empresas. E assim forma-se um ciclo virtuoso de interação universidade-empresa, indispensável para o desenvolvimento sustentado de qualquer pais.

A atitude inovadora tem invadido o ambiente das empresas modernas. Inovação  significa mudança, a capacidade de fazer as coisas de maneiras diferentes, e envolve necessariamente uma etapa de criatividade, em que um problema é detetado e entendido e soluções criativas são propostas para resolvê-lo, e uma etapa de realização, em que as soluções criativas são colocadas em prática e testadas, e finalmente levadas à produção, chegando ao mercado. Normalmente, as grandes inovações não são inéditas ou revolucionárias, ao contrário do que se imagina. Tomem como exemplo a indústria automobilistica, o carro de passeio tem  o mesmo jeitão desde que foi criado o modelo T por Henry Ford: quatro rodas,  quatro portas, transmissão via embreagem, combustível fóssil, etc. O que é que mudou até hoje? Pensem ai, e vocês vão concluir que não houve mudança revolucionária, todos os avanços foram no sentido de fazer melhor e mais eficiente o que já era feito antes. Motores menores, menos poluentes, alto grau de eletrônica embarcada, GPS, pneus que duram uma eternidade, câmbio automático, câmbio automatizado (são diferentes…), sensores de estacionamento e de chuva, etc.

O potencial de inovação ocorre com os funcionários mais novos, com até dois anos de casa, e depois volta a ocorrer com os funcionários mais antigos, com mais de 10 anos de casa. Fácil de entender, porque os novatos estão na frigideira do dia a dia, chão de fábrica, e lidam com os processos diariamente, e conseguem enxergar possibilidades de melhorias e ganhos em eficiência. O mesmo acontece com os funcionários mais antigos, que já têm uma visão mais abstrata, mais de cima, e conseguem enxergar a empresa toda, de outro ponto de vista, enxergam os processos interagindo uns com os outros, e os pontos de ineficiência ficam mais aparentes. Outro dado interessante é que o potencial de inovação é mais presente em funcionários com apenas o ensino fundamental, que lidam com o dia a dia do chão de fábrica e enxergam  os micro-problemas. E esse potencial cresce muito na medida em que o funcionário se especiliza mais, chegando ao máximo com os que têm mestrado ou doutorado. Esse fato explica o enorme salto na demanda por mestres e doutores nas empresas que lidam com inovação.

Claro, não adianta uma empresa ter uma super-equipe, com mestres e doutores, se o ambiente da empresa não favorecer a inovação e a atitude inovadora, que normalmente inclui o espirito inquisidor e a sede por mudanças. Para não perder o costume da engenharia de software, quais os requisitos desse ambiente? Pelo menos: reconhecer e valorizar as boas iniciativas; estimular o empowerment, que significa a delegação de poder e a autonomia para tomada de decisões; estimular a diversidade nas equipes de trabalho; tolerância com os erros, que devem ser vistos como oportunidades de crescimento e não como falhas; flexibilidade com normas internas que possam inibir o espirito inovador; facilitar o fluxo de informações e o uso da criatividade no dia  a dia; hierarquia pouco valorizada, estruturas mais achatadas e mais baseadas em liderança, etc.  E, finalmente, o que deve fazer parte do perfil do empreendedor de sucesso? Pelo menos: capacidade de planejamento; disposição para assumir riscos e lidar com incerteza; capacidade de articulação de pessoas e recursos; capacidade de realização.

Minha mensagem final: trabalhem seu perfil empreendedor, que raramente é uma qualidade inata nas pessoas, e pode ser desenvolvido. Boas leituras ajudam muito, existem muitos livros de bons autores que devem ser lidos (cito novamente as obras do Fernando Dolabela, como por exemplo o best-seller O segredo de Luisa), e revistas de boa qualidade, como por exemplo a você s/a, que foi parte da inspiração para essa aula da saudade (edição 136, de outubro de 2009, artigo Libere seu potencial empreendedor, autores José Eduardo Costa e Renata Avediani).

Boa sorte a todos, sucesso na carreira e na vida pessoal, e continuem em contato com o departamento. Estaremos sempre aqui dispostos a ajudá-los. As transparências que utilizei na aula da saudade, feitas a mão de maneira inovadora utilizando um tablet modelo TB106 da C3Tech, podem ser baixadas aqui.

(este artigo foi escrito por zeluisbraga, e postado no meu blog zeluisbraga . wordpress . com) (this post is authored by zeluisbraga, published on zeluisbraga . wordpress . com)

Anúncios

Consultor Independente, Treinamento Empresarial, Gerência de Projetos, Engenharia de Requisitos de Software, Inovação. Professor Titular Aposentado, Departamento de Informática, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Doutor em Informática, PUC-Rio, 1990. Pós-Doutoramento, University of Florida, 1998-1999

Marcado com: ,
Publicado em Carreira, Educação
8 comentários em “Aula da saudade – Janeiro de 2010
  1. Joao Gazolla disse:

    Otima postagem Zeh! Uma das postagens suas mais bacanas que ja vi ! Parabens…

  2. Luís disse:

    Excelente Velho… mais uma vez, incentivando os alunos a se tornarem mentes pensantes e referências em inovação e tecnologia, algo que infelizmente não é trabalhado de forma muito estruturada nas Universidades brasileiras.

    Em um setor (informática) em que existe muito espaço para inovação, o sentimento e desenvolvimento das capacidades empreendedoras dos alunos é fundamental!

    Abraço!

  3. Carol disse:

    Era pra eu tá formando!! =[

  4. evaldo vilela disse:

    Excelente texto, parabens Zeluis. Incentivo a publicar em um jornal de maior circulacao, adaptando o tamanho e reorientando para o geral. Precisamos contribuir mais para a renovacao da cultura pro-inovacao no Brasil, senao nao vai dar certo! Evaldo.

    • Olá, Evaldo. O problema é que ninguém mais lê jornal, muito menos a geração Y que está nas ruas. Eles só lêem na web, é o canal de divulgação. Esse tema da inovação é recorrente nas minhas aulas, sempre acho uma brecha para falar disso, e até tem dado algum resultado. Vários alunos se interessam pelo tema, pegam meus livros para ler, conversam comigo, etc. O trabalho é de formiga, é mudança de cultura, mudança na cabeça de uma geração inteira. abraço,

  5. Paulo Adriano disse:

    Caro Zé Luis, seu post é excelente! Tomo a liberdade de citá-lo no portal do Simi. Temos que dar visibilidade a este texto em toda a comunidade do Sistema Mineiro de Inovação. Aproveito para convidar você e todos seus leitores a se cadastrarem no Portal do Simi no site http://www.simi.org.br. Lá é possível pesquisar em uma biblioteca de mais de 1.800 itens, participar de 90 comunidades temáticas, buscar empregos em áreas tecnológicas e de inovação e o melhor, interagir com empresas para transferência de tecnologia ou outros tipos de trabalhos científicos cooperados, assim como você diz no seu post.Feliz 2010 inovador para todos. Paulo Adriano

  6. André Castro disse:

    Alo Zé,

    Um de seus melhores posts até agora.

    Abs,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: