Sustentabilidade: the necessary revolution

Mais um livro lido, mais um monte de lições aprendidas, conceitos confirmados. E um enorme avanço na minha visão sistêmica sobre o mundo, objetivo que persigo sempre, exercitando em todas as oportunidades. Que são muitas no mundo atual, nos governos e desgovernos, nas medidas econômicas e sociais inócuas porque não atuam no problema principal e ficam somente nos sintomas. Soluções paliativas focam apenas nos sintomas, vejam aqui um artigo recente aqui no blog sobre a questão, com um modelo sistêmico para ajudar no entendimento. O livro é um desdobramento de um outro mais antigo, A quinta disciplina (The fifth discipline), sobre o qual também escrevi aqui no blog.

41VR DmGiNL._AA160_The necessary revolution, autor Peter Senge e colaboradores. Utilizando modelos sistêmicos extraidos do The fifth discipline, Senge explora neste livro a questão da sustentabilidade no nosso planeta. Muito didático, cheio de exemplos e casos reais subsidiados por bons dados reais, o livro deixa bem claro o buraco em que estamos metidos do ponto de vista de sustentabilidade da vida no planeta. Em um dos capítulos, ele analisa a questão da bolha em que vivemos, alheios a tudo o que não nos diz respeito, consumindo tudo o que aparece, um desperdício enorme de recursos naturais. Desperdiçando uma enormidade de nosso recurso natural mais escasso, a água, para produzir qualquer coisa. E gastando outra enormidade de recursos para transportar produtos ao redor do planeta, desde alimentos que saem do Brasil e vão para os restaurantes de NY ou HongKong de avião, até energia elétrica produzida em centrais termelétricas movidas a carvão natural, poluindo o meio ambiente com CO2. Quem está dentro da bolha nem percebe os problemas, as coisas aqui funcionam aparentemente muito bem e estamos sempre dentro de um ciclo virtuoso da economia, que não vai acabar nunca. Quem está fora da bolha, enxergando os problemas claramente ou então vivendo a escassez na pele como os sofridos irmãos dos paises africanos e de outros paises em outros cantos do mundo. Nenhum pais do planeta está imune aos problemas, que cedo ou tarde chegarão e vão exigir a necessária mudança de perspectiva  e de atitude de todos.

Daí é que vem o título do livro. A revolução necessária a que ele se refere e discute no livro refere-se à urgência da mudança dessa visão de mundo. Cooperação e colaboração são fundamentais, eliminando a cultura do desperdício e da agressão ao meio ambiente.  Temos que assumir que somos parte da natureza, e não apenas usuários irresponsáveis dela. O padrão de riqueza, conforto e desperdício que se vê nos paises ricos (notoriamente EUA) não é sustentável, as consequências estão aparecendo lentamente, mas ferozmente. Ou mudamos, ou estaremos ferrados mais cedo. Por tudo isso e muito mais, o livro é uma leitura recomendada no mundo todo, não é por acaso que é um dos mais vendidos.

Estou me lembrando de um exemplo contado por um professor (infelizmente não me lembro do nome do professor, não anotei), acho que da USP, especialista em transporte urbano, em uma das edições do programa Capital Natural apresentado por Fernando Gabeira. O professor disse que perguntou em sua sala de aula, sobre o que os alunos achavam da melhoria do transporte urbano, melhorando as condições para todo mundo, tirando carros de passeio das ruas, produzindo todas as consequências positivas que são conhecidas. Em peso os alunos concordaram que essa seria uma medida necessária e obrigatória. Mas (sempre tem um mas) ele constatou que a maioria apoia a medida, porque assim as ruas vão ficar mais vazias e eles vão poder usar os próprios carros sem problemas de trânsito. Assim não dá…

(este artigo foi escrito por zeluisbraga, e postado no meu blog zeluisbraga . wordpress . com) (this post is authored by zeluisbraga, published on zeluisbraga . wordpress . com)

Consultor Independente, Treinamento Empresarial, Gerência de Projetos, Engenharia de Requisitos de Software, Inovação. Professor Titular Aposentado, Departamento de Informática, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Doutor em Informática, PUC-Rio, 1990. Pós-Doutoramento, University of Florida, 1998-1999

Marcado com:
Publicado em Economia, Social, Sustentabilidade, Tecnologia
Um comentário em “Sustentabilidade: the necessary revolution
  1. Flávio Sousa disse:

    E a bolha sempre estoura a exemplo de 1929 e da recente bolha imobiliária americana que desencadeou a recente crise…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: