Aposentadoria: previdência e juros

Um artigo curto da Exame 1022 (22 de agosto de 2012) chamou minha atenção, talvez por eu estar na bica da aposentadoria, e esses assuntos passaram a me interessar mais diretamente. A economia é um sistema, um monte de variáveis que de vez em quando até comento aqui, todas interligadas por alguma relação. Significa o seguinte: mexeu numa delas, certamente as outras relacionadas vão, em algum momento, apresentar também variações positivas ou negativas. Pode ser imediatamente, ou pode levar um tempo, o que em teoria de sistemas é chamado de delay ou atraso, e que nos leva a um dos axiomas da teoria das decisões: em geral quem toma decisões de impacto econômico ou social não vai mais estar no poder para ser atingido pelos efeitos (futuros) da decisão.

g773E o artigo fala de mais um caso desses: nossa economia entrou na fase dos juros baixos, o que é bom, sem dúvida alguma. Mas… (lá vem o mas de novo) a rentabilidade dos fundos de pensão também cai com a queda dos juros da economia. E a capacidade de pagamento de aposentadorias desses fundos também cai proporcionalmente, o que cria um ciclo vicioso sério. Se os juros da economia continuarem a cair, o pagamento das aposentadorias de quem investiu nesses fundos fica comprometido. Os números: -3.2 milhões de funcionários de empresas e bancos (públicos ou privados) que têm aposentadoria paga pelos fundos de pensão; -os fundos têm que corrigir as aposentadorias em 12.4% ao ano;  -com os juros da economia a 8% e caindo, fica claro que em algum momento o sistema vai trancar por falta de dinheiro para honrar os compromissos. Por enquanto, os fundos têm reservas para suportar as quedas de juro, mas os recursos não vão durar para sempre, vão minguando aos poucos. É o efeito bola de neve, crescimento baseado em taxas (positivas ou negativas) é exponencial para cima ou para baixo, acontece tudo muito rápido.

Mudanças vão ser necessárias, para ajustar as regras de investimento à nova realidade de juros mais baixos. Investimentos de renda fixa pagam cada vez menos acompanhando a tendência da queda dos juros, e os fundos são obrigados por lei a ter uma parte do investimento em renda fixa, para manter o risco mais baixo. A regra é a mesma: ganha mais quem arrisca mais, mas com o dinheiro de aposentáveis que contam com o fundo de aposentadoria para terem uma vida melhor depois de aposentados não se pode brincar, as vidas estão em jogo. Olhem as variáveis batendo uma na outra, efeitos muitas vezes não antecipados pegam você no meio do caminho lá adiante.

(Exame 1022, 22/08/2012: Pensão sem fundos, autoria Maria Luíza Filgueiras)

(este artigo foi escrito por zeluisbraga, e postado no meu blog zeluisbraga . wordpress . com) (this post is authored by zeluisbraga, published on zeluisbraga . wordpress . com)

Consultor Independente, Treinamento Empresarial, Gerência de Projetos, Engenharia de Requisitos de Software, Inovação. Professor Titular Aposentado, Departamento de Informática, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Doutor em Informática, PUC-Rio, 1990. Pós-Doutoramento, University of Florida, 1998-1999

Marcado com:
Publicado em Economia, Reflexões, Social

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: