MOTOWN

O musical Motown ficou na lista de desejos pendentes da penúltima viagem. Peças de teatro ou musicais custam caro em qualquer parte do mundo, infelizmente não dá para ir a mais de uma em cada viagem. Normalmente, preferimos ir a musicais, é um macete, pois tem menos diálogos o que melhora o entendimento da peça. Mesmo tendo bom domínio da língua inglesa, costumam usar gíria ou algum sotaque diferente ou o som não ajuda, e ai danou-se, em alguns pontos a gente fica meio perdido, vendo todo mundo rir e sem conseguir rir junto!

Motown deixou saudades, superou as expectativas. Tirando diretamente da Wikipedia: “A Motown Records, também conhecida como Tamla-Motown, é uma gravadora americana de discos fundada em 12 de janeiro de 1959 por Berry Gordy Jr. na cidade de Detroit, estado americano de Michigan conhecida como "Motor Town", devido às montadoras de automóveis ali instaladas. O nome da gravadora é uma redução de "Motor Town"1 . Nos anos 60 foi a mais bem sucedida na criação daquilo que se tornou conhecido como O Som da Motown, um estilo de "soul" bem característico, com o uso de instrumentos como pandeiros, baterias e instrumentos do "rhythm and blues" além de um estilo de ‘canto-e-resposta’ (com a repetição, por parte do coral, de frases inteiras ou palavras de alguns versos) originário da música gospel. O "som da Motown" também é marcado pelo uso de orquestração e instrumentos de sopro, por harmonias bem arranjadas e outros refinamentos de produção da música pop, e é considerado precursor da Era Disco dos anos 70.”, vejam o link aqui.  

imagesFomos ver Motown numa tarde de terça-feira, 14 horas, em Outubro. Sessão matinê, na esperança de um teatro mais vazio e de preços mais camaradas. Engano total, o preço foi o mesmo dos horários de gente grande, e o teatro tava lotado de seniors, um monte de cabelo branco na plateia (claro, eu incluido), calculei a idade média por volta de 60 anos ou um pouco mais. Ou seja, ficamos à vontade! O teatro foi o Lunt-Fontanne Theatre, um dos mais antigos da Broadway (New York). Emoção total, contagiante, vimos interpretações espetaculares de Berry Gordy, Diana Ross e The Supremes, Marvin Gaye, The Temptations, The Jackson 5, Stevie Wonder e Michael Jackson magistralmente interpretados por Raymond Luke, Jr. e Darius Kaleb, dois garotos que seguramente não têm mais que 12 anos.

Uma viagem no tempo, volta à nossa juventude, quando o selo Motown estava no pico da fama e todo mundo queria ter os discos deles. Tudo importado, o jeito era ouvir nas rádios, principalmente na Rádio Mundial do Rio de Janeiro, 860Khz OM, hoje transformada em CBN-Rio. Ou então na Rádio Montanhesa de Viçosa, no programa do nosso colega Sérgio Brandolini, que tinha uma discoteca invejável. Era nossa diversão  acompanhar de longe, e curtir as músicas, todas elas, nas “brincadeiras dançantes” do Atlético e do Viçosa Clube, incluidas as músicas da Jovem Guarda! Jovens tardes de domingo…

 

(este artigo foi escrito por zeluisbraga, e postado no meu blog zeluisbraga . wordpress . com) (this post is authored by zeluisbraga, published on zeluisbraga . wordpress . com) (from Viçosa, MG)

Consultor Independente, Treinamento Empresarial, Gerência de Projetos, Engenharia de Requisitos de Software, Inovação. Professor Titular Aposentado, Departamento de Informática, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Doutor em Informática, PUC-Rio, 1990. Pós-Doutoramento, University of Florida, 1998-1999

Marcado com:
Publicado em Arte, Dicas, Musica, Viagem

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: