CSF (Ciência sem Fronteiras): uma opinião

download Sempre que pude, incentivei meus alunos a saírem do Brasil por uns tempos, em algum programa de intercâmbio, quando esses programas ainda eram raros. Na sala de aula, nas aulas de empreendedorismo, nas conversas, e até nos botecos. Todos, sem exceção, voltaram pessoas melhores, melhor visão de mundo, de problemas, de oportunidades, de inovação, e seguiram adiante tendo sucesso na vida profissional. Tenho visto algumas pessoas criticarem o CSF – Ciência sem Fronteiras, programa criado pelo governo federal para levar alunos de cursos superiores lá fora, para ficarem um ano sendo expostos a outras culturas, línguas, universidades, salas de aula, etc., esperando que esses sejam agentes de mudança quando voltarem para cá.

Claro, há distorções, o programa é novo, precisa aperfeiçoamentos, tem aluno morcegão que não aproveita a oportunidade e fica lá fora somente na coceba e no turismo, ajudando a manchar a boa ideia do CSF. Mas, da minha experiência de educador (37 anos na universidade pública, não é desprezível), se 30% (sendo otimista, talvez seja bem menos) dos alunos que foram premiados com o CSF aproveitarem a oportunidade, aprenderem tudo o que aparecer, amadurecerem com a estadia lá fora (não tem problema viajar, o contato com outras culturas faz parte do amadurecimento), voltarem para cá e ajudarem a mudar alguma coisa por aqui, considero que o programa terá sido um grande êxito.

O que alguns não conseguem enxergar, é que a qualidade é um atributo emergente (que emerge) e não pode ser conseguido por decreto. A qualidade emerge da quantidade, não há dúvida alguma. Temos que parar com essa nossa mania nacional de querer meter a ripa em tudo, por qualquer motivo, e não enxergar os benefícios e o lado positivo das iniciativas, seja lá de que governo for. O país é beneficiado, é o que importa.

Atualização 23/02/2014 – Um artigo de opinião, publicado no jornal Estado de São Paulo, mostrando alguns problemas do programa CSF, que complementa esta postagem.

Copy-paste de uma postagem no Facebook, que fiz no dia 14/02/2014

(este artigo foi escrito por zeluisbraga, e postado no meu blog zeluisbraga . wordpress . com) (this post is authored by zeluisbraga, published on zeluisbraga . wordpress . com) (Viçosa, MG)

Consultor Independente, Treinamento Empresarial, Gerência de Projetos, Engenharia de Requisitos de Software, Inovação. Professor Titular Aposentado, Departamento de Informática, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Doutor em Informática, PUC-Rio, 1990. Pós-Doutoramento, University of Florida, 1998-1999

Marcado com:
Publicado em Carreira, Educação, Empreendedorismo, Social
2 comentários em “CSF (Ciência sem Fronteiras): uma opinião
  1. Avelino Forechi disse:

    Zé me candidatei a uma bolsa de doutorado sanduíche e assino embaixo do que disse. A minha bolsa não é do CsF, mas é uma oportunidade única dentro desse contexto. A impressão que tenho aqui na UFES é que há poucos alunos de Pós aproveitando essa oportunidade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: