Movimento anti-vacinação (nos EUA)

Há pouco tempo, fiquei assustado e ao mesmo tempo meio incrédulo com uma notícia que li e ouvi, sobre o movimento anti-vacinação nos EUA. Pais não vacinam os filhos nem contra gripe, muito menos contra poliomielite, tuberculose, catapora, sarampo, coqueluche, etc. Incrível, como é que em pleno século XXI, isso pode acontecer exatamente no país mais rico do planeta, em que a maioria da população tem acesso à educação básica e à informação?

mmr-vaccine-300x294Fui primeiro olhar na Wikipedia, para ver se o assunto já estava por lá. Olhem o link do que encontrei, isso é apenas o começo. Tirando direto de lá, com tradução livre:  “A despeito das enormes vantagens conhecidas da vacinação, as controvérsias começaram há pelo menos 80 anos, e continuam até os dias de hoje. Os que se opõem à vacinação proclamam que as vacinas não funcionam, que elas são ou podem ser perigosas, que os cidadãos devem confiar mais na higiene pessoal ao invés de se vacinarem, ou mesmo que as campanhas de vacinação obrigatórias lançadas pelos governos violam direitos individuais ou princípios religiosos. Esses argumentos reduziram muito os índices de vacinação em algumas comunidades, resultando em novas ocorrências de epidemias totalmente evitáveis e que são, em alguns casos, fatais para as crianças.”  

Se procurarem na web, vão achar um monte de notícias, documentos e argumentos dos mais variados contra a vacinação. Todos, a meu ver, contrariando completamente o bom senso comum. Como é que os pais têm a coragem de por em risco a saúde dos filhos, em troca de uma crença? O pior argumento que eu li, foi que vacinas podem causar autismo! Pior, está acontecendo nos EUA um surto de sarampo (measles), e a controvérsia voltou com força total, muitos não respeitam as campanhas e não vacinam os filhos. Vejam o artigo do jornal USAToday, com exemplos e um depoimento assustador, com uma discussão sobre a questão. A coisa é tão séria, que os pediatras estão se negando a atender crianças cujos pais não tenham cumprido as exigências de vacinação obrigatórias até o momento, vejam a notícia aqui.

As campanhas de vacinação são obrigatórias aqui no Brasil, existe um controle rigoroso através da carteira de vacinação, que é exigida quando a criança entra na escola, e suas atualizações são cobradas a cada ano. E deve mesmo ser obrigatório, no meu entendimento a decisão não deve e não pode ficar a cargo dos pais, isso é um problema de saúde pública nacional, que se não for tratado adequadamente pode ter impacto negativo em toda uma geração. Não é, de forma alguma, uma decisão pessoal. Se não fosse assim, não teriamos conseguido erradicar doenças graves como a poliomielite, por exemplo. Lá fora as vacinações também são obrigatórias e controladas da mesma forma, recém-nascidos têm sua carteira de vacinação sempre atualizada, que é exigida nas escolas, sempre, até uma certa idade. Mas, aceitam-se os argumentos dos cidadãos, afinal estamos falando de uma democracia em que os direitos individuais são respeitados, e os estados têm legislação própria sobre cada assunto, formam uma federação de estados, onde a constituição do país tem que ser seguida por todos, mas cada estado pode ter refinamentos específicos.

Mais uma vez fica claro que o grau de instrução formal a que uma população tem acesso não garante, necessariamente, uma melhoria na capacidade de pensar sobre problemas e se informar sobre eles. É incrível e assustador!

Atualização 15/02/2015 – Excelente artigo, publicado no NYTimes, sobre o assunto. Baseado em livros curtos discutindo a questão. Continuo assustado com os argumentos contra a vacinação! Vejam aqui, se tiverem paciência, vale a leitura.

(este artigo foi escrito por zeluisbraga, e postado no meu blog zeluisbraga . wordpress . com) (this post is authored by zeluisbraga, published on zeluisbraga . wordpress . com) (from Viçosa, MG)

Consultor Independente, Treinamento Empresarial, Gerência de Projetos, Engenharia de Requisitos de Software, Inovação. Professor Titular Aposentado, Departamento de Informática, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Doutor em Informática, PUC-Rio, 1990. Pós-Doutoramento, University of Florida, 1998-1999

Marcado com:
Publicado em Economia, Reflexões, Saúde, Social
4 comentários em “Movimento anti-vacinação (nos EUA)
  1. Marcio disse:

    Essa questão sobre o direito individual x o coletivo é bastante interessante. Neste caso especifíco, fica claro que o direito de optar ou não pela vacinação afeta toda a coletividade. Zé, na minha cidade os idosos tem receio de se vacinar contra a gripe. Eles alegam que o governo quer matar os velhos para ficar com a aposentadoria deles…. hehehe…. ao menos faz sentido.

  2. Isso ai é fato Zé… Outro dia, estava discutindo as medidas econômicas, com um DOUTORANDO em economia, adotadas no primeiro mandato da atual governanta do país. Este tentando me convencer, de qualquer forma, que as medidas estavam totalmente certas e seguiam uma coesão econômica e social. Não sou expert em economia, mas conheço alguma coisa de lógica, não da pra aceitar argumentos, visivelmente, baseados apenas em ideologias populistas e intervencionistas.
    Percebi a mesma incapacidade de pensar e se informar que você mencionou. Realmente, dá medo!

    • Willian, dois amigos comentaram sobre essa postagem no Fbook, eles moram nos EUA há anos. São exatamente familias do topo da escala social deles é que não querem vacinar os filhos, baseados em um argumento do inicio dos anos 1900, completamente anacrônico.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: