Adaline, ensaio sobre a vida

Meio sem convicção, comecei a assistir ao filme Adaline (The age of Adaline). E assim continuei sem muita convicção até alguns minutos iniciais do filme, necessários para estabelecer o contexto. Dai em diante, o interesse foi  para as alturas. Um belo filme, com uma mensagem mais bela ainda. Sobre o amor, sobre a vida, e sobre a possibilidade de viver eternamente jovem a vida terrena. Evitando o grande pavor do ser humano, que é a morte.

MV5BMTAzMTQzMTA2MjheQTJeQWpwZ15BbWU4MDk2MTg2MzUx._V1_SX214_AL_Claro que é um filme de ficção, que estabelece uma possibilidade para a vida eterna via um evento logo no começo do filme, e depois fecha essa possibilidade com outro evento ao final, como um par de parênteses em um texto. Nesse intervalo de tempo contido entre os dois parênteses, a mensagem principal do filme se desenrola: como seria a vida de alguém aqui na terra, se fosse beneficiado (?) pelo eternamente jovem? Viver aqui, vendo as pessoas amadas morrerem, ir aos enterros, participar de eventos e aparecer em fotos antigas, sem mudança física aparente, sempre jovem? Alguns aspectos dessa possibilidade são explorados no filme, de maneira magistral. A história se desenrola com esse tema ao fundo, um belo e emocionante romance. Felizmente (para mim), ao final, o parêntese aberto no início é fechado, e a vida segue seu caminho biológico normal.

O tema eternamente jovem foi também explorado magistralmente em um filme de ficção científica de que eu gosto demais, O homem bicentenário, baseado no conto de mesmo título do autor Isaac Asimov. Interpretado magistralmente pelo saudoso Robin Williams, é a história de um robô inteligente, que vai evoluindo, colocando próteses e mais próteses incluindo troca de memória, mantendo-se sempre jovem, e depois de ter vivido por várias gerações na mesma família e tendo visto pessoas amadas morrerem, resolve também que é hora de partir com uma das descendentes da família. Ficção, sem dúvida, mas com uma bela mensagem de fundo.

Recomendo o filme Adaline, vale a pena demais. Alegra a vida!

(este artigo foi escrito por zeluisbraga, e postado no meu blog zeluisbraga . wordpress . com) (this post is authored by zeluisbraga, published on zeluisbraga . wordpress . com) (from Viçosa, MG)

Consultor Independente, Treinamento Empresarial, Gerência de Projetos, Engenharia de Requisitos de Software, Inovação. Professor Titular Aposentado, Departamento de Informática, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Doutor em Informática, PUC-Rio, 1990. Pós-Doutoramento, University of Florida, 1998-1999

Marcado com:
Publicado em Arte, Reflexões, Social
2 comentários em “Adaline, ensaio sobre a vida
  1. daniellainacio disse:

    Assisti ao filme hoje. Terminei agora. E estou encantada. A reflexão que fazemos depois do filme nos faz perceber o quanto é bela a vida, da forma como ela é.
    Assisti ao filme por causa do seu post, Zé. E só tenho a te agradecer pela dica.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: